Início » Arquivos » Legislação » Vídeo no YouTube causa protestos, morte de embaixador e intervenção da Casa Branca

Vídeo no YouTube causa protestos, morte de embaixador e intervenção da Casa Branca

Avatar Por

Um vídeo vem causando muita polêmica nos Estados Unidos e em países de tradição islâmica. Publicado no YouTube, o filme “Innocence of Muslims” apresenta o profeta Maomé, símbolo religioso máximo para muçulmanos, de uma maneira que claramente ultraja a comunidade ao redor do mundo. Tanto que a Casa Branca teve que intervir e pedir ao Google que removesse o vídeo do site. O Google se recusou.

Para simplificar as coisas: o Islã proíbe a representação da figura de Maomé. É absolutamente tão simples quanto isso. Qualquer ilustração, cartum, foto ou mesmo filme com o profeta desrespeita profundamente a tradição deles. Sam Bacile (pseudônimo), diretor do filme, vai além ao mostrar um profeta mulherengo e com inclinações para a pedofilia.

"Innocence of Muslims"

“Innocence of Muslims”

Não é por acaso que, nos países de maioria muçulmana, há protestos a todo o momento nos consulados e missões diplomáticas. Pelo menos um embaixador dos Estados Unidos, na Líbia, foi morto, assim como três americanos em Benghazi.

O YouTube decidiu censurar a exibição do filme em quatro países: Egito, Índia, Indonésia e Líbia. Em nota, o site de vídeos reconhece restringiu o acesso ao conteúdo, mas por questões jurídicas – é ilegal exibir imagens do profeta Maomé no Egito e na Líbia.

Manifestantes destroem bandeira americana no Cairo (foto: reprodução / France Presse)

Manifestantes destroem bandeira americana no Cairo

Há muito mistério envolvido na produção do filme. Uma reportagem distribuída pela agência de notícias EFE informa que o possível produtor do filme, Nakoula Basseley Nakoula, contactou a polícia e pediu proteção depois da movimentação de jornalistas na porta de casa. O mesmo homem teria sido preso e, segundo a Reuters, existe a possibilidade de ter violado as condições para que fosse solto ao fazer o vídeo.

Da mesma forma, o mistério por trás de “Innocente of Muslims” inclui relatos de atores que, ao participarem do filme, em momento algum tomaram conhecimento de que seria uma sátira à vida do profeta Maomé. Eles dizem que o filme deveria se chamar “Desert Warriors” e que não havia personagem algum com o nome do profeta.

Qualquer que seja o desenrolar dessa história, tenho muito claro para mim que certas situações tidas como liberdade por nós do Ocidente afrontam diretamente a crença de comunidades do Oriente Médio. Há de se construir o respeito em torno das liberdades defendidas por uns e as crenças defendidas por outros.

Assista abaixo ao vídeo “Innocence of Muslims” (não foi bloqueado no Brasil).

(Vídeo do YouTube)

Com informações: Reuters

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fabricio Adriel Coelho Freire
É questão de cultura, aqui tem coisas que fazemos em que outros países são considerados anti-éticos. Assim como vemos esse fanatismo, e pensamos para que isso. Mas em partes dou razão, pois imagine que fizesse com a imagem de Jesus Cristo, tudo que é fizeram com a imagem de Maomé, você acha que as igrejas não iriam se revoltar contra isso? Mas como disse concordo em partes, pois concordo com protestos, porem não concordo quando utilizam a violência como forma de protesto.
YuriMetal
Não! Ateísmo é sim só a não crença em deuses, já religiões, como as variantes cristãs, tem todo um código de conduta e valores morais, é por isso que religião mata mas ateísmo não, por isso tb que não existem ateus fanáticos.
Turdin
Seguindo sua linha, Cristianismo é só crer em Deus, qualquer coisa além disso vai além do cristianismo. Sim, existem ateus fanáticos assim como fanáticos religiosos.
bupereira
A tal de liberdade de expressão é o que faz você estar aqui agora, comentando. É a liberdade que temos de manifestar nossas crenças e opiniões, e JAMAIS deveria ser tolhida por pressão ou violência. Ao sucesso ou ao fracasso, que a audiência determine. Há um desrespeito enorme não só contra as religiões, mas também aos ateístas, negros, judeus, gays, gordos e mulheres. Todas as minorias do mundo são discriminadas. A maioria deles de forma muito mais pesada e agressiva do que a que você sofre.
Thiago Roberto
Respeito pelas diferenças e crenças das pessoas
luvialca
Taí um povinho desgraçado (no sentido original da palavra: desprovido da graça).
PedroSaldanha
Um cara de uma igreja cristã ridicularizando Maomé, alguém ja viu um islâmico ridicularizando Jesus Cristo? De qualquer maneira qualquer religião é besteira.
Kessler
O governo americano deveria jogar sua constituição no lixo porque um grupo de pessoas não sabe receber uma crítica sem apelar para a violência? Isso não faz sentido.
Kessler
Lamento, mas eles só fizeram provar que o autor do vídeo estava certo. Pelo menos em relação a uma minoria de muçulmanos que não sabe receber uma crítica sem destruir embaixadas. Se nos países deles é proibido esse tipo de manifestação, isso é problema deles; mas nos países ocidentais ela é permitida. Que tal ELES respeitar a NOSSA cultura, pra variar?
YuriMetal
Respeito não se cede de boa fé, nem com ameaças e terrorismo. Respeito se conquista. O que esses muçulmanos fanáticos fizeram pra merecer respeito? NADA! Eles merecem ser presos e levados à justiça de seu país (se é que lá existe justiça pra esse tipo de crime). No dia que esses fdp souberem tolerar a idiotice e liberdade de expressão alheia, daí merecerão um pouco de respeito.
YuriMetal
Não existe fanatismo ateu. Ateísmo é só a não crença em deuses, qualquer coisa a partir disso vai alem de ateísmo, só está usando ele como base.
caRIOca
Não custa nada o Google retirar esse video do ar. Estão mexendo com algo muito mais antigo que a Internet. Sou Católico, há um desrespeito enorme contra as religiões, é claro que as reações são diferentes. O governo americano deveria tomar uma decisão mais séria contra o Google, mas à tal da liberdade de expressão não deixa. Enquanto isso o ódio contra os americanos, judeus e ocidentais só aumenta na comunidade mulçumana!
True Story
Que seja... Se a lei americana permite não vejo problemas. Eu posso ser xingado na rua de qualquer coisa... podem ofender minha religião que eu não ligo. Eu não vou sair por aí matando os outros pq tem opniao diferente da minha. Quem ta errado aí é o povinho bitolado... O cara é no maximo um troll.
fac_713198649
O vídeo foi feito para provocar, mas nada justifica a matança de pessoas por causa disso. Os muçulmanos deveriam sim fazer pressão para que os autores fossem punidos legalmente, por ofensa e tal. Mas nunca matar pessoas em protesto.
fac_713198649
Na boa, uma vez falei mal do Linux em um blog e senti que minha vida estava em risco nos comentários logo abaixo.
Exibir mais comentários