Algumas empresas jogam a sujeira para debaixo do tapete. Oh, finjamos que nada aconteceu! Outras tomam as devidas providências para proteger o consumidor. A Nokia talvez seja a mais recente companhia a ingressar nessa segunda lista. Depois de colocar no ar um vídeo publicitário mentiroso, a fabricante finlandesa prometeu empregar uma revisão ética dos procedimentos adotados até chegar à crise da qual nós falamos por aqui.

Produtos da fabricante finlandesa não vendem como antes. Este é um fato. A Samsung e Apple praticamente dividem sozinhas o mercado de smartphones. Ainda assim, pode perguntar a qualquer consumidor qual marca é sinônimo de celular. Muitos responderão Nokia. A companhia continua na mente daquele cara que procura um novo celular e considera várias alternativas.

Olha a van ali atrás | Clique para ampliar

Ora, e qual é a importância desta “revisão ética” que prometem?

Tendo um nome a zelar, a companhia faz bem em responder à altura daquilo que o consumidor espera. O público-alvo das publicidades do Lumia 920 ficou chocado ao descobrir que as imagens exibidas como se fossem de um exemplar do smartphone na verdade vieram de um equipamento profissional e uma van montada especificamente para este fim. Esse mesmo público-alvo, tenho certeza, vai adorar quando a fabricante provar que o OIS do Lumia 920 com tecnologia PureView funciona do jeitinho que promete. Velha história de que não basta ser, tem que parecer.

Uma porta-voz da Nokia disse ao site The Next Web que a companhia procura entender o que aconteceu. Claro, diz que não foi intenção deles trazer informações erradas para o cliente. Ainda assim o fizeram.

Quando o seu principal diferencial, uma câmera com sistema de lentes mais moderno, causa dúvidas, sinaliza que a companhia não pensou a comunicação da maneira correta. Falhou. Um simples aviso de que as “imagens são simuladas”, tão comum nos anúncios de 30 segundos de celulares nos Estados Unidos, bastaria. Pode não ser moral, mas estaria dentro dos conformes.

Essa discussão de publicidade envolvendo desempenho de aparelhos eletrônicos ainda dará muito pano para a manga. São tantas variáveis que nem sei por onde começar.

Atualizado às 21h30.