Em um comunicado enviado à imprensa hoje, a operadora TIM disse que vai aceitar a proposta feita pela Anatel nessa terça-feira, em que a agência sugeriu a criação de uma nova medida no setor para englobar exatamente as chamadas que caem por acidente. Segundo a medida, se uma ligação cair, o usuário terá até 2 minutos para ligar para o mesmo número sem ser cobrado novamente.

Fachada da sede da TIM no RJ (Crédito: Camila Junger/Sinttel)

Apesar da proposta ainda precisar passar por consulta pública antes de ser aprovada, a TIM decidiu tomar a dianteira e já vai implementar essa medida a partir da semana que vem. Mas se você não é um cliente da TIM que mora no nordeste, não fique muito feliz ainda. Segundo a operadora, apenas seis estados da região vão ser contemplados com a solução por enquanto: Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. Ainda não sabemos quais os demais estados que podem receber essa solução no futuro.

Mesmo que a TIM tenha saído na frente, a medida, se for aprovada, vai valer para todas as operadoras brasileiras. E isso pode afetar não só os planos pré-pagos com chamadas ilimitadas como também os planos pós-pagos. O período de consulta pública é de 10 dias a contar de amanhã.

Leia abaixo o comunicado da TIM na íntegra.

A TIM concorda plenamente com a proposta da Anatel de estender a qualquer duração de chamada a atual regra de “concatenação”. Segundo a nova proposta, em qualquer caso de interrupção de chamada entre dois usuários, a nova ligação realizada em até dois minutos será a continuação da chamada anterior.

“A evolução tecnológica e de ofertas que a TIM liderou ao longo dos últimos anos acompanha, indiscutivelmente, a proposta da Anatel. Neste sentido, a empresa buscará se antecipar, iniciando já na próxima semana o processo de implementação da nova solução em seis estados da região Nordeste”, explica Mario Girasole, Vice-Presidente de Assuntos Regulatórios e Institucionais.

A TIM reafirma seu compromisso com a prestação de serviços de qualidade e segue com a execução do Plano de Ações de Melhoria, recentemente aprovado pela Anatel, que prevê dentre outras ações, a expansão da capacidade da rede de voz e dados. Até 2014, a empresa prevê investimentos na ordem de R$ 9,5 bilhões, sendo R$ 3,5 bilhões ainda este ano.