Início / Arquivos / Computador /

Testamos o Ultrabook misterioso da CCE

Equipe do Tecnoblog

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Publieditorial

No começo do mês chegou aqui na redação um Ultrabook misterioso, identificado apenas como #ultrabookx. Fizemos o unboxing da máquina e publicamos nossas experiências de uso nas redes sociais, comentando sobre o desempenho, o teclado adaptado para o padrão brasileiro, a tela, o acabamento e outros detalhes. Como muitos já desconfiavam nos comentários do Facebook e do YouTube, a fabricante é a CCE.

Tirando o Ultrabook CCE da caixa, dá para notar duas características específicas logo de cara: a presença de uma porta Ethernet, útil para acessar a internet em locais onde não há conexão Wi-Fi, como a Campus Party, e um drive ótico, que ultimamente está sendo sacrificado para deixar os notebooks mais finos.

O Ultrabook tem 4 GB de RAM DDR3, processador Intel Core i7-3517U de 1,9 GHz e vídeo Intel HD Graphics 4000, que roda jogos recentes desde que você não aumente muito a qualidade dos efeitos e filtros. A máquina possui tela de 14 polegadas com tratamento antirreflexivo, que facilita o uso do Ultrabook em locais onde há muita luz, já que o acabamento fosco minimiza o problema dos reflexos na tela. A resolução é a padrão dos Ultrabooks de 14 polegadas: 1366×768.

HDMI, Ethernet, leitor de cartões e duas portas USB 3.0 no Ultrabook CCE | Clique para ampliar

O teclado infelizmente não é retroiluminado, mas tem layout com padrão ABNT e teclas dedicadas à barra (/) e ao ponto de interrogação (?), diferente de alguns fabricantes que decidiram embutir esses caracteres nas telas Q e W, obrigando o usuário a teclar Alt Gr. O touchpad, por sua vez, é grande e não possui botões visíveis, permitindo que toda a superfície seja sensível ao toque.

Teclado do Ultrabook CCE tem padrão ABNT | Clique para ampliar

O disco rígido de 500 GB armazena todos os dados do usuário, mas um pequeno SSD de 32 GB, conectado numa porta mSATA e não acessível pelo sistema, é usado pela tecnologia Intel Smart Response, explicada com detalhes nesse artigo do TB, para fazer cache de arquivos. Essa solução aumenta o desempenho da máquina e não encarece tanto o custo do produto.

Este publieditorial faz parte da campanha #ultrabookx. Para saber mais detalhes, acesse a página do Ultrabook no site da CCE.