Início » Arquivos » Computador » Intel não vê futuro para os processadores ARM

Intel não vê futuro para os processadores ARM

Fabricante continuará investindo pesado na arquitetura x86.

Paulo Higa Por

Enquanto a plataforma ARM cresce e evolui nos dispositivos móveis, a Intel resolveu seguir outro caminho. Em abril, a fabricante de Santa Clara anunciou o primeiro smartphone com processador Atom, o Xolo X900. Recentemente, a Intel mostrou em Londres outro aparelho com processador x86, o Orange San Diego. A Chipzilla deve continuar seguindo essa estratégia e não acredita que o ARM realmente possa ser mais eficiente que o x86.

O diretor do grupo de mobile e comunicações da Intel, Mike Bell, declarou nesta semana que o Android ainda não está pronto para os processadores ARM dual-core e quad-core dos smartphones topo de linha. Em testes de laboratório da Intel, os processadores multi-core executaram tarefas mais lentamente que os single-core. O curioso é que os processadores Atom Medfield possuem núcleos lógicos graças a tecnologia Hyper Threading, introduzida no Pentium 4.

Orange San Diego tem processador single-core Intel Atom Z2460 de 1,6 GHz.

Apesar dos processadores Atom não executarem instruções ARM, isso não gera tantas incompatibilidades com os aplicativos do Android, já que esses softwares rodam dentro da máquina virtual Dalvik. Dessa forma, enquanto o Dalvik continuar funcionando em processadores x86, os aplicativos (teoricamente) também funcionarão. O problema fica por conta de aplicativos nativos, mas a Intel diz ter desenvolvido um software que “traduz” código nativo para x86. Entre os 100 aplicativos gratuitos da Play Store, o Orange San Diego com Atom Z2460 de 1,6 GHz foi capaz de rodar 94 deles, de acordo com o review do The Verge.

Ao ser questionado sobre a eficiência energética dos processadores ARM em relação aos x86, Mike simplesmente declarou: “Eu não vejo nenhum dado que sustente a ideia de que o ARM é mais eficiente”. Ele admite que o Atom não é o processador mais econômico, mas em algumas tarefas a tecnologia da Intel se dá bem, como a reprodução de vídeos em 1080p. O consumo de energia em standby dos Medfield é um dos melhores, de acordo com o executivo.

Processadores Samsung Exynos (Foto: AnandTech)

Intel não acredita na superioridade dos processadores ARM.

Existe uma teoria que afirma que os processadores x86 são claramente menos eficientes que os ARM porque os primeiros seguem a antiga linha de arquitetura CISC e precisam suportar código legado. Assim, em condições iguais, um chip x86 sempre consumirá mais energia que um ARM. Mas Mike discorda: “Não há nada num conjunto de instruções que seja mais ou menos eficiente que outro conjunto”. Além disso, ele lembra que a Intel possui 30 anos de experiência na área e possui uma tecnologia “melhor que a dos concorrentes”.

Vale lembrar que, apesar da Intel teimar com o x86 e acreditar em sua própria capacidade, o que não é errado, a Kodak era imbatível na fabricação de filmes fotográficos. Em 1976, a fabricante norte-americana era responsável por 90% das vendas de filmes e 85% das vendas de câmeras fotográficas. O mundo decidiu migrar para a fotografia digital, os lucros foram caindo e recentemente a Kodak entrou com um pedido de falência. Mas a Intel diz estar investindo muito e não acha que essa história possa se repetir com ela. Então tá.

Com informações: ExtremeTech.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vitor
Meu jovem, o Razer i lançado a anos atrás já tinha o Atom!
Johnny Walker Junior
Mas a Intel, o seu produto principal é processadores, se ela fracassar em persuadir os fabricantes, seu futuro será incerto. Coisa que não acho tão ruim, visto que com dominância exclusiva dos Intel no mercado de pcs é extremamente ruim a nós consumidores. Acredito na concorrência, mais do que ser puramente Intel. A liberdade ofertada pela ARM é uma razão para isto, e um enfraquecimento da Intel seria bom para o mercado, pois num mundo onde somente existe Intel, nós sempre levaremos prejuízo, via a concorrência em suas múltiplas versões.
Johnny Walker Junior
O problema não é experiência, pois sei que a Intel tem de sobra, mas simplesmente a aceitação por parte dos interessados, ou seja os fabricantes. Escolher Intel significa estar amarrado à Intel que tem um ciclo fechado de produção, mas ao contrário quando da escolha dos ARMs, temos uma licença mais viável e que significa mais liberdade em termos de adequar o Soc à suas reais necessidades, a licença ARM dá esta perspectiva. Se formos olhar pelo lado de licença temos a IBM que adotou algo parecido com o da ARM com o seu OpenPower. Infelizmente, se a Intel não mudar o tipo de licença, acredito que esteja condenada ao fracasso ou ser apenas para um nicho de mercado, ainda mais que o lucro de processadores móveis é menor que nos PCs e graças a Deus temos concorrência pesada, pois nos desktops o lucro Intel é tremendo. Infelizmente a concorrência não é uma coisa que acontece nos PCs, onde temos um duopólio, mas com uma companhia capengando e a trancos e barrancos.
Pablo Ferreira
Com o supercomputador mais rápido do mundo usando 100% Intel e o processador para smarthphone mais rápido do mundo (superando ARM com o dobro do clock), acho q a Intel tinha razão.
Raffael Oliveira Sousa
Ezequiel até hoje todos os dispositivos Android vendidos somam 900 milhões, os com iOS 600 milhões. Um Cortex A15 de 8 nucleos perde para um x86 de 2 da Intel em RAW Power e eficiência por watt. O unico problema do X86 é que até agora a intel não tinha porque coloca-los em telefones ou tablets, mas agora ela tem e ela vai vir com toda sua experiencia para destruir a ARM.
Raffael Oliveira Sousa
Você só esquece que a Intel é uma mega-corporação com a maior expertise em semicondutores e a maior infra-estrutura de fabricação de transistores do mundo. Enquanto a ARM é só uma pequena holding britânica que possui algumas patentes da microarquitetura RISC, que não produz nem um se quer de seus produtos e vive apenas de licenças. Dizer que os processadores ARM são uma grande ameaça para a Intel é o mesmo que dizer que a CCE é uma grande ameaça para a Samsung. A TSMC que fabrica a grande maioria dos processadores ARM só vai fabricar processadores de 20 nm em 2018, enquanto a Intel desde 2012 fabrica em 22 nm e em 2014 começa a fabricar processadores com 14 nm. Sem falar que já estão em estágios avançados para fabricar processadores de grafeno e fotônicos.
Ezequiel Gervasio Gouveia
Não concordo... Os smartphones e tablets são o futuro.. Tablets/smartphones com windows ainda nem faz sucesso, Android vende bilhões po ano,Iphones tb ,e todos usam ARM.. Córtex A15 é 40% mais potente q o A9 e dependendo do clock,pode passar de 230% melhor em desempenho q o A9..Tb vem aí o Cortex A57 64bit... Não precisa ser x86 para rodar programas full ou completos..Já está em desenvolvimento o LibreOffice para Android e é completo,vi as screenshots,é igual o do PC,completo.....
Ezequiel Gervasio Gouveia
Concordo com vc,@leandronunesti
jhony
RESPOSTA DA ARM PRA INTEL: SERIA MAIS OU MENOS ASSIM: Cara gigante de redmond estamos no ramo movel a mais de 2 decadas por favor volte para o seu atomo. enquanto nosso cortex executa todas as suas funçoes e ainda roda jogos. boa sorte arm kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Franz
Medão da Intel...aposto que nesta década assistiremos à ascenção do smartphone como gadget definitivo.
Turdin
Vamos ver se continuam a produção
Ricardo
Intel com medo. Legal. :D
Marcello Pek Di Salvo
qualquer empresa poderia em tese produzir iPhones se a apple quisesse licenciar ^^
Yuri
Sério, e dá certo.
@franchzilla
Mas sempre ouvimos como o mercado de desktops e laptops está estagnando e que o futuro é mobile. A Intel não pode folgar no topo de um mercado e achar que ele sempre estará lá. Essa é a questão.
Exibir mais comentários