brasil-bandalarga Depois do plano da Banda Larga Popular apresentado pelo Governo de São Paulo, hoje, na esfera federal, foi a vez de ser apresentado ao presidente Lula o documento entitulado “Um plano nacional para banda larga – O Brasil em alta velocidade”, um conjunto de medidas para promover o crescimento da capacidade da infra-estrutura de telecomunicações no país a fim de disseminar a banda larga pelo país.

O documento, entregue pelo Ministro das Comunicações Hélio Costa, possui texto de 196 páginas escritas por técnicos da pasta e pretende atingir suas metas de elevar o número de acessos à banda larga no Brasil até 2014, com orçamento de R$ 75,5 bilhões. Algumas das metas são:

  • Chegar a 30 milhões acessos fixos individuais no país, nas áreas urbana e rural, somando pessoas físicas e jurídicas;
  • Atingir 60 milhões de acessos à banda larga móvel, entre aqueles acessados por smartphones e os que utilizam modens para acesso móvel (tecnologia 3G);
  • Acesso à internet de banda larga a 100% dos órgãos do governo, o que inclui as 70 mil escolas públicas ainda sem esse recurso, mesmo as situadas em áreas rurais;
  • Levar a banda larga também a todas as 177 mil unidades de saúde do país, às mais de 10 mil bibliotecas públicas e ao 14 mil órgãos de segurança pública;
  • Implementar 100 mil novos telecentros comunitários até 2014;

O projeto parte das estatísticas sobre a internet de banda larga fixa em dezembro de 2008, que chegou a 9,6 milhões de acessos. Isso é equivalente a cerca de 17,8 acessos a cada cem domicílios e 5,2 acessos a cada cem brasileiros.

“Apesar do contínuo crescimento no número de acessos taxa anual média de crescimento de 49% entre os anos de 2002 e 2008 observa-se uma forte desaceleração a partir de 2004. Além disso, na comparação internacional com países que, sob determinados critérios, apresentam condições semelhantes ao Brasil (Argentina, Chile, China, México e Turquia), o país apresenta baixos níveis de penetração de banda larga”, afirma o documento.

Sem o plano, a estimativa é que o país chegasse ao final de 2014 com aproximadamente 18,3 milhões de acessos à banda larga fixa, um déficit significativo em relação aos 30 milhões da meta. [Folha Online]

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Henrique Artur Wint
Do que adianta ter 30 milhões de usuários se a infraestrutura ofericada pelas operadoras não suportará nem metade desses usuários? Antes de querer fazer números é melhor pensar em qualidade. Por esse motivo os serviços no Brasil continuam tão ruins.
Eric
É foda. Ao invés de regular direito o serviço porco que é oferecido hoje em dia, ainda estão querendo expandir tudo. Juarez, 2012 vai ser quando 30 milhões de pessoas usarem o Speedy =)
Juarez Lencioni Maccarini
Ah sim! Faltou dizer que isso tudo só vai adiantar alguma coisa se o mundo não acabar em 2012, claro… ;-)