Não, o título não está errado. De acordo com uma pesquisa realizada por um economista da Universidade do Estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, a pirataria realizada por BitTorrent na verdade colabora com as vendas de músicas legítimas, ao contrário do que diz o senso comum e a indústria fonográfica.

O estudo contraria praticamente todas as análises realizadas sobre o assunto. E como explicar isso? De acordo com Robert Hammond, professor assistente da universidade e autor do projeto, as outras pesquisas não tiveram acesso a dados tão precisos quanto os que ele utilizou para chegar a esse resultado. Além disso, ele considerou álbuns completos para compor seu estudo, diferente dos outros, que utilizaram músicas individuais.

Quem diria: isso aí pode ajudar com vendas de CDs. Que coisa, não?

O pesquisador coletou informações sobre álbuns lançados entre maio de 2010 e janeiro de 2011 no maior tracker BitTorrent privado dedicado a música, com 150 mil usuários (alguém sabe qual é?). Esses dados foram combinados com o número de vendas dos CDs nas lojas para construir um modelo de previsão do efeito da pirataria sobre a indústria fonográfica.

Na pesquisa, foram considerados 1.095 álbuns de 1.075 artistas diferentes. Robert focou principalmente em álbuns que vazaram antes do lançamento oficial. “As descobertas sugerem que o compartilhamento de arquivos de um álbum beneficia as vendas do disco. Em nenhum instrumento ou especificação eu encontrei evidências de algum efeito negativo“. O download do estudo completo (36 páginas) pode ser realizado neste link.

Com informações: TorrentFreak.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Segundo Torres
O maior site privado é o torrentleech.
Caio Alexandre
Não tem mais frustração do que você baixar um álbum, escutar, gostar dele e não achar em nenhum lugar pra comprar. :( E neste comentário está meu comentário subliminar sobre a notícia.
marcus
Este post está incorreto. O que o estudo linkado afirma é que artistas que tem álbuns vazados em trackers de torrents antes do lançamento oficial, experimentam, na média, vendas superiores. Em nenhum momento o autor do artigo afirma que a distribuição de arquivos digitais de maneira gratuita via torrents aumenta a venda de músicas. De acordo com a página 21 do paper, In contrast, Liebowitz(2011) reviews the literature on file sharing and concludes that "the majority of all studies support a conclusion that the entire decline in sound recording sales can be explained by file-sharing." I do not attempt to evaluate this conclusion because I do not focus on the industry-wide implications of file sharing. Instead, I focus on how file sharing of an individual album helps or hurts that album’s sales. The question of interest here is whether an individual artist should expect her sales to decline given wider pre-release availability of the album in file-sharing networks. I find that the answer is no.
Yuri
Eu só não compro os CDs originais pq não tenho dinheiro, mas é o meu sonho ter todos os albuns do meu HDD.
Kadu
(entrevista não, PESQUISA)
Kadu
Deve ser a primeira entrevista que não foi encomendada por nenhuma gigante de mídia.
Marcos
Adoro o Transmission...Demonoid, The Pirate Bay, Brokenstones
Gabriel
Pois é, somos cientistas quando convém e esse não é o caso. Quando um estudo indica que crianças ficam violentas com games, todos saem com tochas na mão com um ceticismo completo das afirmações feitas pelo pesquisador com ironias como "Claro, eu estou dando bundadas em tartarugas". Agora sobre pirataria ser benéfico para o mercado da música...se fosse algo que fossem contra ia começar: "É claro, faz todo sentido pagar pela mesma coisa que você já tem afinal amamos gastar nosso dinheiro".
Marcoscs
engraçado como sempre depois de um estudo mirabolante vem sempre um monte de "mãe dinahs" levantando a plaquinha do "Eu já sabia!" e dizendo 'como era absurdo que a patuléia não reconhecesse uma coisa tão óbvia...' Particularmente não vejo isso de forma tão óbvia, até porque o estudo se atém somente aos lançamentos, o que foi lançado entre 2010 e 2011. Para esses até concordo que possa haver um efeito "vou ouvir primeiro pra comprar depois". Mas o que é um período de 1 ano na música? E tudo que foi feito antes, qual a relação entre músicas lançadas antes de 2010 e a pirataria? Será que para músicas antigas a pirataria continua tendo esse efeito benéfico que o estudo diz ter para as recentes? Duvido.
Rodrigo Fante
Sou contra a pirataria e pago pelo consumo, mas também acho que pirataria não derruba vendas, pelo contrário, torna popular quem deve ser, quem perde é quem não faz um trabalho de qualidade e/ou popular, perde pois ao "testarem" antes o produto não compram depois, o que poderia acontecer as escuras antigamente.
Gabriel
Na verdade, eu não conheço muitas pessoas que compram música entre meus amigos. Os geeks nunca ousariam comprar um CD de música pirata, se é para comprar que seja do artista com encarte e reconhecendo o trabalho dele em números. Mesmo sendo fã, é complicado você ir comprar um disco e jogar no canto da gaveta já que sua versão pirata está com tags corretas e com a mesma qualidade. Eu já fiz isso, comprei mas mantenho a pirata para não ter que ripar o disco. Aliás um lado que as pessoas não vêem muito é o reconhecimento pelo número de discos vendidos. O Nuno Mindelis, que gravou um ou dois discos com o Double Trouble (banda do finado Stevie Ray Vaughan, um dos artisitas de blues mais famosos do mundo) diz que isso é mais difícil hoje porque as gravadoras já não tem interesse em investir nesse tipo de novidade, ainda mais para um mercado tão restrito como o dele. Observe que ele nem estava reclamando, ele concorda que a internet é boa e muitos (como eu) conheceram seu trabalho através dela, mas é interessante essa situação que ele comentou. Eu era bem contra pirataria, mas acho que ela serviu para ajustar o mercado e deixar os donos do conteúdo (bem) menos acomodados. Só me irrito com a hipocrisia generalizada de quem não adquire nada e diz que está esperando "preço justo". Há muitos que pagam R$100,00 ou mais em lançamentos de Xbox, no qual a vantagem de comprar original é clara pela comodidade e segurança, mas dizem que música é muito cara aqui no Brasil. Como assim? A iTunes Store vende música sem DRM em dólares aqui no Brasil, com 100 reais você compra cinco ou mais discos pelo preço que um americano paga + IOF. Nunca será melhor que isso.
Alexandre
falou e disse tudo! alias, essa teoria eh antiga, desde que a MS começou a encher o saco com politicas antipiratarias, num dado momento ficou claro que eles faziam vista grossas para a pirataria pois ela ajuda a disseminar o sistema...
@henriquelbsouza
Mas as pessoas que não compram porque fazem download é as mesmas pessoas que comprariam o pirata ao invés do original. Não impacta tanto quanto pensam, o fã de verdade vai comprar independente de ter ou não pra download, já a pessoa que nunca comprou, tendo ou não para download vai continuar sem comprar.
@LBKatan
Fico com a (b).
bawlaw
é mais ou menos como fazer um estudo para derrubar a teoria do aquecimento global...
Exibir mais comentários