Início » Arquivos » Internet » Google Play brasileiro também venderá livros e músicas

Google Play brasileiro também venderá livros e músicas

Atualmente só é possível comprar aplicativos para Android no Brasil.

Por

Quando o Google unificou os serviços de venda de aplicativos, aluguel de filmes e compra de livros sob uma única plataforma, a mudança praticamente não fez diferença aos usuários brasileiros. Basicamente, o Android Market mudou de nome para Google Play e nada mais. Isso deve mudar nos próximos meses, quando a gigante de Mountain View finalmente liberar a venda de livros e músicas no Brasil.

O anúncio foi feito hoje no Google Press Summit 5.0, evento que a empresa está realizando em Santiago, no Chile. O brasileiro Hugo Barra, diretor de produtos móveis do Google, afirmou que o potencial de crescimento do Android na América Latina é bem grande. Os smartphones são responsáveis por apenas 13% dos celulares utilizados no Brasil, um índice bem diferente dos Estados Unidos, onde os celulares comuns são minoria desde maio do ano passado. A ativação de smartphones Android quadruplicou por aqui em 2011.

Loja brasileira do Google Play também venderá músicas e livros.

Para que a compra dos novos produtos seja possível, será necessário possuir um cadastro no Google Play e confirmar o CEP pelo celular para evitar fraudes. A aquisição de aplicativos, jogos, livros e músicas deverá ser ainda mais prática — o Google fechou uma parceria com as operadoras brasileiras que permitirá a cobrança diretamente na fatura mensal do celular. Isso poderá possibilitar a compra de aplicativos mesmo sem um cartão de crédito internacional e tornará os desenvolvedores do Android ricos, famosos e felizes para sempre.

Ainda não há datas para a disponibilidade de livros e músicas na Play Store brasileira, mas o serviço deverá receber as novidades “em alguns meses”. Resta saber se eles também causarão polêmicas como a iTunes Music Store, já que o Google ainda não vende conteúdo em moeda nacional. Os valores estimados são exibidos em reais, mas a cobrança é feita em dólares na fatura do cartão de crédito.

Com informações: O Globo.