Pesquisadores da Universidade de Taipei, de Taiwan, estão trabalhando em uma nova tecnologia de transmissão de dados baseada nos frugais apontadores lasers (aqueles usados com apresentações de PowerPoint). Testes iniciais em laboratório mostraram que um único feixe de laser foi capaz de atingir a espantosa velocidade de 500 megabits por segundo. E usando equipamentos que não são exatamente a última palavra da tecnologia.

Batizada de Visible Light Communication System (ou sistema de comunicação por luz visível) a novidade ainda está em fase de desenvolvimento, mas já chega a ser mais eficiente do que as tecnologias de transmissão por WiFi ou Bluetooth. De acordo com os criadores, a até 10 metros de distância o laser registra um bit de erro a cada 1 bilhão de bits, enquanto o WiFi tem um erro a cada 100 mil e o Bluetooth, um bit de erro a cada 1000 transferidos.

Como o próprio nome já diz, o VLC usa parte do espectro da luz visível para transmitir dados, o que torna fácil a detecção de intrusos na comunicação já que isso geraria uma alta taxa de erros. E como cada conexão pede por pelo menos dois lasers e dois receptores, os pesquisadores conseguiram criar uma rede de até 1 gigabit por segundo durante seus testes.

Outra vantagem é o baixo custo da invenção: o protótipo construído na universidade custou o equivalente a módicos R$ 1.140,00. O lado negativo é que, por usar o laser visível, o sistema não funciona através de paredes e obstáculos como as tecnologias de transmissão sem fio. Mas as vantagens que ele oferece fazem dele uma boa alternativa no campo de transmissão de dados.

Com informações: ExtremeTech. Foto sob licença CC do usuário FastLizard4 no Flickr.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Edicarlos
Pode criar um condutor espelhado que refrata o sinal. Ai não terá problema com obstáculos. Só tem que verificar se há muita perda de velocidades ou dados.
Uildes Nogueira
ótimo como pesquisa acadêmica. Péssimo para uma aplicação comercial;
ricardo
Também é possível utilizar o espectro visível para transmissão em fibra ótica. Inclusive, conseguem-se taxas superiores a 10Gbps dentro de uma única fibra, ou seja, 10 vezes mais que a velocidade atingida no experimento. E com uma vantagem: a distância pode ser muito maior.
ricardo
É sem fio, mas é muito limitada. O uso dessa tecnologia em distâncias maiores, por exemplo, entre montanhas conforme citado acima, seria inviável. Imagine que com chuva, neblina ou poeira a comunicação já ficaria seriamente prejudicada e, ainda, a calibragem dos dispositivos é extremamente delicada, pois ambos precisam estar milimetricamente alinhados já que o feixe de luz é fino e retilíneo. Novamente, imagine alinhar um laser com seu receptor a uma distância de 1 quilômetro, em que mexer o laser um ângulo de 1 grau já jogaria o feixe para nada menos que 17 metros longe do receptor. Ou seja, se o emissor balançar, vibrar ou bater uma brisa a comunicação já era. Foram exatamente esses problemas que foram percebidos no passado, e resolvidos pela Fibra Ótica. Por isso, respeito o estudo que foi realizado, e acho até que pode ser aplicado em algumas situações, mas não vejo nenhuma revolução nele. É apenas uma releitura de tecnologias já existentes.
pedrormg
Pra mim ficou claro :p
Yuri
Mas o laser é sem fio. O carinha alí de cima deu um exemplo de aplicação para essa tecnologia. A descoberta dos pesquisadores foi sim importante.
lin00x
a questão é que, quanto mais se aumenta a distância entre o emissor do feixe luminoso e seu captador, maior é o afastamento angular causado por qualquer movimentação no emissor. assim, qualquer simples "tremida" no emissor do feixe tiraria ele do alinhamento com o captador, interrompendo a conexão em longas distâncias. pelo que eu entendi, a comunicação em enorme velocidade só se dá por conta da transmissão através do espectro luminoso (a luz viaja com altíssima velocidade). substituir ou intermediar essa transmissão com fibra óptica "mataria" a utilidade do espectro. seria como se ter uma highway de 6 faixas para carros em alta velocidade interrompida por uma ponte de 1 só faixa trafegável apenas a 20km/h. uma aplicação útil para essa tecnologia seria a intercomunicação entre os nodos de um cluster e até mesmo entre os próprios clusters, potencializando a transferência de dados e, ao mesmo tempo, evitando perda de bits (obtidos no processamento) durante o processo. numa computação de menor escala, poderia ser utilizado para diminuir o tempo demandado para transferência de backups entre máquinas da rede de uma grande empresa, por exemplo.
@trovalds
A única coisa que fizeram foi transmitir dados através de um feixe de laser fora da fibra óptica. Tanto que quando estão instalando fibra, o teste mais rápido pra ver se tudo está ok é justamente usando um apontador desses em um lado da conexão.
ricardo
Exatamente. A diferença é que as tecnologias de Fibra Óptica já existentes superam 10Gbps, e os caras aí conseguiram apenas 1Gbps. Parabéns aos pesquisadores por reinventarem a roda.
Thiago Abrahão
Como faz? Me ensina? Quero fazer la em casa kkk
Leodemelo
Tenho a mesma dúvida.
@TatoGomes
Me lembrou os tempos do moribundo Orkut.
Igor P.
Tava pensando um pouco nisso, uma fibra óptica resolveria o problema de curvatura e etc., mas... já não existe transmissão de dados via óptica? Qual fica a diferença?
@alexandrecopi
ADSL with lasers
Alexandre
Muuito interessante. Mas e se "canalisarem" esse feixe numa fibra otica? Isso ja existe nao? è tao interessante qnto aquele modelo de rede distribuida por pontos de luz!
Exibir mais comentários