Início » Arquivos » Brasil » Estados Unidos e União Europeia questionam leilão do 4G no Brasil

Estados Unidos e União Europeia questionam leilão do 4G no Brasil

Edital exige conteúdo nacional de no mínimo 60%.

Lucas Braga Por

O mercado de telecomunicações sempre foi muito lucrativo no Brasil. É lucrativo tanto para as operadoras quanto para o governo: a tonelada de impostos que se paga em cada ligação é muito cara. Em vista da chegada da próxima geração de redes móveis, a OMC (Organização Mundial do Comércio) decidiu questionar o leilão que será feito em junho para as licenças de operação em 4G.

O motivo é o acesso estrangeiro ao mercado de telefonia. No edital do leilão que acontece em junho, a Tia Ana (apelido que dou para a Anatel) estabeleceu uma exigência de conteúdo nacional mínimo de 60%. Por conteúdo nacional, entenda sistemas e equipamentos.

Alguns dos compromissos para quem comprar as licenças

Não apenas isso, os estados se queixam também quanto à adoção da frequência de 450 MHz, que está sendo destinada para a comunicação rural. Por se tratar de uma frequência sequer homologada pelos órgãos reguladores do 4G, a reclamação se dá pelo fato de criar uma solução muito localizada, dificultando também a produção de equipamentos.

Os Estados Unidos e a Europa já se manifestaram negativamente sobre o assunto e irão levar o assunto para a próxima reunião com a Organização Mundial do Comércio.

Todo esse julgamento faz sentido: as principais operadoras de celular existentes no Brasil possuem capital estrangeiro no meio. A TIM é italiana; a Claro, mexicana; a Vivo é espanhola e a Oi tem mais de 20% de participação portuguesa.

O leilão dos 2,5 GHz, frequência do 4G brasileiro, deve tirar boas fortunas das operadoras. Especula-se que os preços mínimos da licitação cheguem a R$ 3,8 bilhões. Isso representa um aumento de quase 15% em relação ao leilão feito em dezembro de 2007, que teve o preço mínimo de R$ 2,7 bilhões, com valor final de R$ 5 bilhões.

Com informações: Estadão.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Wtf?
Não é culpa das operadoras e sim do governo...cliente pós pago é só olhar a quantidade de tributos que você paga para o governo, nossos gloriosos políticos ganham mais com telefonia do que as próprias operadoras, mas isso ninguem reclama...
Milton
que falem todas e que fique a melhor !
Theo K. Silva
Eu já deveria estar acostumado com esse país ridículo.
@arturcsousa
Essa Ira é maior para quem não está nas Capiais, sou do Rio e não tinha do que reclamar lá, estou no interior de MG e faço festa se pegar o 3G com qualidade. Nem a cabo aqui tem uma qualidade mínima. Considerando que de 5565 municípios apenas 26 + Distrito Federal são Capiais e seus arredores.... é tem muita gente com ira mesmo. Telefonia só para capitais é foda... Abs
@iJeanCarlos
Tente na Inglaterra,ae vc muda a opnião.
Yangm
Prevejo muitos smartphones com capacidade de conectar ao 4G sendo vendidos como 3G aqui por causa da frequência. Parabéns, tia Ana.
Turdin
Não tem a ver com querer telefonia rural, e sim com a frequência escolhida.
ricardo
Esses caras já faturam tanto com o usuário brasileiro e agora reclamam porque não querem seguir meia dúzia de exigências. Pode ser que eles tenham bons argumentos, mas isso me parece mais uma manobra para driblar as exigências, fazer tudo do jeito que bem entenderem e assim maximizar os lucros.
Paulo Gonçalves
O problema é que a Claro, além de reduzir a velocidade, cobra excedente...
felipe
R$ 3,8 bilhões pra comprar uma frequência ?! com esse dinheiro dava pra fazer o 4G funfar lindamente em uma cidade .. MAS como as operadoras faturam muito , nao ligo ! heheheheh :P elas tem dinheiro pra pagar esses 3,8bi e ainda gastar mais 3,8bi pra infra-estrutura !
marcos_5000
15Mb? Se a velocidade "normal" for metade desse valor, eu ficarei beeem impressionado... As operadoras gostam de reduzir ao mínimo possível...
Eulli
HAHA morei 1 ano na Belgica ano passado e posso te dizer 3G europeu é um lixo!!
Lucas Braga
Não senhor. O costume de planos limitadíssimos foi herdado de outros países. O Brasil chegou, inclusive, a possuir em seus serviços o 3G sem limite de tráfego (ilimitado de verdade, sem redução de velocidade, como aconteceu com os primeiros planos da Claro e os primeiros planos de dados da Vivo. Pena que já terminou). Um plano de dados na Europa é tão ou mais caro que os planos brasileiros.
Guilherme Macedo C.
Aliás, diz meu celular que a conexão é 3.5G, o que seria a evolução do 3G, mas que não melhorou nada.
Guilherme Macedo C.
TIM Florianópolis: sem sinal muitas vezes por dia; internet lenta e caindo sempre.
Exibir mais comentários